terça-feira, 8 de maio de 2012

BOTAFOGO: DECIFRA-ME!




Olá Nobres Alvinegros,

Há cerca de uma semana estávamos nesta coluna festejando com euforia o primeiro caneco do Bota no Engenhão, vencido com brilhantismo diante da boa equipe vascaína. O Bota foi forte, coeso, seguro e decisivo. Jogou tão bem que não se ouviu falar em qualquer pretexto do adversário, como arbitragem ou desfalques. Quando se atua bem e as coisas acontecem ao seu tempo não tem pra ninguém.

A Valentina, a mais nova alvinegra do pedaço, veio ao mundo na 2ª feira feliz da vida, com saúde e com a faixa de campeã da taça Rio 2012. O Bota pegaria o Vitória no meio de semana e eu me preocupava com esse oba-oba. Pior ainda, de repente foram 5 desfalques e ainda assim o Bota fez um bom jogo, empatando com gols e aumentando ainda mais a confiança do time e do seu torcedor, que compareceu ao Engenhão em maior número do que os tricoletes.

Quem tem mais estrada de Fogão sabe que favoritismo e Botafogo são coisas que não se atraem. E quando até mesmo a mídia que torce o nariz para o alvinegro nos apontava como favorito é porque algo muito estranho ou de muito ruim estava por acontecer.

E tudo de ruim ocorreu, com requintes de crueldade. O jogo estava parelho, 1x1, até os 11’ do tempo final. Até aí, é verdade, o Bota não reeditava sua bela partida anterior. Fez 1x0 no início do jogo e sentou nessa pequena vantagem. A diferença era que cedia seu meio de campo e não era incisivo nos contragolpes. Elkeson errava tudo e irritava. E das suas lambanças surgiram perigosas jogadas na cozinha alvinegra, inclusive a que resultou no gol do Fred.

No tempo final o Bota acordou e era melhor até a expulsão de Lucas. Ele foi infantil a meu ver. Sabia que tinha cartão e fez falta no meio de campo. Sentiu o jogo, é fato. A partir daí o Bota se perdeu. Entendo que treinador é para isso. Deveria acalmar a equipe e recompor o lado direito, nem que colocasse mais um zagueiro, o que não poderia era manter a exposição e fragilidade de marcação que o meio de campo demonstrava neste jogo. Deco, Neves e Sobis estavam bem na partida e Oswaldo ofereceu a zona de criação para eles, quando deslocou F. Gabriel para a direita, abrindo totalmente o meio e continuando sem lateral. E eles souberam decidir. O 2x1 no lance seguinte a expulsão de Lucas foi um senhor golpe. Neste momento falei comigo mesmo: é hora de segurar, tem outro jogo e 1 gol dá pra reverter. Fiquei pensando o que fez Oswaldo ir pra cima em busca do empate com uma a menos e como o time mal. Será que faltou humildade para jogar feio e defender a derrota por um gol apenas? Será que a maldita invencibilidade influenciou Oswaldo a buscar o empate sem cacife para isso?

Acho que houve um pouco de tudo, e até mesmo falta de malandragem ao rodado treinador. Após o 3° gol, aos 20, era para reforçar o meio de campo e defesa, dane-se o ataque, pois era iminente novo vazamento na defesa alvinegra, dada as circunstâncias do jogo. Mas não, continuamos tontos, perdidos, atacando como um bando em busca de um golzinho milagroso, e a todo momento era tricolor na cara de Jefferson, até surgir o menino e ampliar a vantagem para 4x1, placar derradeiro.

E o que este amigo tem para vos dizer? Simplesmente é que somos BOTAFOGO e morreremos Botafogo. Sempre Botafogo, aconteça o que for, aonde quer que ele esteja estaremos com ele, em todos os momentos, na alegria e na tristeza, como esta em que estamos submetidos. A dor é sempre proporcional à alegria, ainda que para botafoguense ela não dure muito.

Ah, não se esqueçam que o Botafogo é diferente, imprevisível, capaz de qualquer proeza. Até a semana passada o Bota era um bom time, e não pode ser avaliado como medíocre após um jogo atípico, em que todos os fatores negativos interferiram, além de uma grande exibição do adversário. Futebol é isso e a vida muda de minuto e minuto, como dizia Valdir Amaral.  E cada jogo é uma história diferente. O Vasco cresceu e tirou o urubu do certame. Chegou a ser favorito contra o Bota e foi atropelado. E nós não soubemos conviver com este peso. Engraçado, se o Flu perder a vaga da Libertadores para o Inter, seu provável título será esvaziado, pois eles não investiram mais de 7 milhões de folha salarial para vencer campeonato Carioca. Aí a mídia questionará até que ponto eles são tão eficientes assim, pois fizeram apenas 3 bons jogos no ano.

E o nosso Fogão? Só nos cabe agora apoiar o time, que é bom, e avançar na Copa do Brasil. Essa sim é a competição do semestre, ou alguém discorda? Claro, dava para ganhar os dois? Sim, mas perder um estadual, se for este o destino, não pode nos abalar quando buscamos um título inédito como a Copa do Brasil, que garante vaga na Libertadores.

Amigos Elídio e Ronaldo, sei como é duro quando comparecemos ao estádio e o time nos decepciona, mas isso faz parte do futebol. Amigos Vitor e Flávio, concordo com vocês, temos de apoiar sim e tem de ser agora. Quem for ao Engenhão que vá para incentivar e fazer o time levantar e sacudir a poeira, atropelar o Vitória e ir com moral no domingo.

O Botafogo é nosso eterno amor, lembrem-se disso, vamos apoiá-lo sempre!

BOTAFOGO: SUA TORCIDA É UMA FORTALEZA E JAMAIS SE RENDERÁ”

“Na estrada dos louros, um facho de luz, tua estrela solitária te conduz...”

FORÇA SEMPRE FOGÃO!

Saudações Alvinegras

Nenhum comentário:

Postar um comentário